sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Minha Mãe



De noite a solidão vem me assaltar
De noite canto mais alto pra não chorar
De dia a saudade quer me acordar mais cedo
Mas quem me conhece aprende a me esperar

Eu nasci de noite
Filha de uma estrela
A sereia canta só pra me mimar
Eu cresci na noite
Como a lua cheia
Afastando nuvem pra te iluminar

Água-de-cheiro pra Iemanjá
A onda vai pra depois voltar
Larguei meus sonhos em alto-mar
Quem me conhece aprende a me esperar

Larguei meus sonhos em alto-mar
Meu peso em ouro pra quem achar

De noite a solidão vem me assaltar
De noite canto mais alto pra não chorar
De dia a saudade quer me acordar mais cedo
Mas quem me conhece aprende a me esperar

Eu nasci de noite
Filha de uma estrela
A sereia canta só pra me mimar
Eu cresci na noite
Como a lua cheia
Afastando nuvem pra te iluminar

Água-de-cheiro pra Iemanjá
A onda vai pra depois voltar
Larguei meus sonhos em alto-mar
Quem me conhece aprende a me esperar

Larguei meus sonhos em alto-mar
Meu peso em ouro pra quem achar

Água-de-cheiro pra Iemanjá
A onda vai pra depois voltar
Larguei meus sonhos em alto-mar
Quem me conhece aprende a me esperar

Larguei meus sonhos em alto-mar
Meu peso em ouro pra quem achar



terça-feira, 18 de agosto de 2009

Carpe Diem ( o poema completo de Horácio )




Em Latim:

Carpe diem quam minimum credula postero.

Tu ne quaesieris, scire nefas, quem mihi, quem tibi finem di dederint.

Leuconoe, nec Babylonios
temptaris numeros.

Ut melius, quidquid erit, pati.

Seu pluris hiemes seu tribuit Iuppiter ultimam, quae nunc oppositis debilitat pumicibus mare.

Tyrrhenum: sapias, vina liques et spatio brevi spem longam reseces. dum loquimur, fugerit invida.

Aetas: carpe diem quam minimum credula postero.

Tradução:

Colha o dia, confia o mínimo no amanhã.

Não perguntes, saber é proibido, o fim que os deuses darão a mim ou a você,

Leuconoe, com os adivinhos da Babilônia não brinque.

É melhor apenas lidar com o que cruza o seu caminho.

Se muitos invernos Júpiter te dará ou se este é o último, que agora bate nas rochas da praia com as ondas do mar.

Tirreno: seja sábio, beba seu vinho e para o curto prazo reescale suas esperanças.

Mesmo enquanto falamos, o tempo ciumento está fugindo de nós.

Colha o dia, confia o mínimo no amanhã.

Podemos sempre ser melhores. Basta pensarmos melhor.

Fragmentos




De repente, sinto-me transportada pela brisa da memória e revitalizo-me no perfume suave, e adocicado, das campainhas e alfazemas que tecem um sereno colchão de pétalas...Nele nos deitámos em desejo de amantes e trajecto de almas errantes, em pulsar de emoção por sermos só coração. E a árvore, sábia, contempla-nos em infinita tranquilidade cedendo-nos, gentilmente, a sombra que apazigua o calor de uma tarde de Verão.

As suas folhas guardam fragmentos de sorrisos, sussurros e toques que desvelámos em seiva de nós. (E)Ternamente pintámos em esperança de alma o número dois em seu tronco, para que saibamos sempre que estamos fundidos na pureza da (nossa) natureza.


Fecho os olhos, e um eco de saudade traz-te até mim... Aproximas-te, beijas-me e envolves em amplexo profundo... As pétalas agitam-se e parecem tocar acordes de alegria e a árvore, firme, mostra a solidez do nosso amor que ultrapassa momentos de dor... É então que sou princesa neste reino encantado no qual és meu príncipe bem-amado!

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Mulherão


Peça para um homem descrever um mulherão. Ele imediatamente vai falar no tamanho dos seios, na medida da cintura, no volume dos lábios, nas pernas, bumbum e cor dos olhos. Ou vai dizer que mulherão tem que ser loira, 1,80m, siliconada, sorriso colgate.

Mulherões, dentro deste conceito, não existem muitas. Agora pergunte para uma mulher o que ela considera um mulherão e você vai descobrir que tem uma em cada esquina.

Mulherão é aquela que pega dois ônibus para ir para o trabalho e mais dois para voltar, e quando chega em casa encontra um tanque lotado de roupa e uma família morta de fome.

Mulherão é aquela que vai de madrugada pra fila garantir matrícula na escola e aquela aposentada que passa horas em pé na fila do banco pra buscar uma pensão de 200 reais.

Mulherão é a empresária que administra dezenas de funcionários de segunda a sexta, e uma família todos os dias da semana.

Mulherão é quem volta do supermercado segurando várias sacolas depois de ter pesquisado preços e feito malabarismo com o orçamento.

Mulherão é aquela que se depila, que passa cremes, que se maquia, que faz dieta, que malha, que usa salto alto, meia-calça, ajeita o cabelo e se perfuma, mesmo sem nenhum convite para ser capa de revista.

Mulherão é quem leva os filhos na escola, busca os filhos na escola, leva os filhos pra natação, busca os filhos na natação, leva os filhos pra cama, conta histórias, dá um beijo e apaga a luz.

Mulherão é aquela mãe de adolescente que não dorme enquanto ele não chega, e que de manhã bem cedo já está de pé, esquentando o leite.

Mulherão é quem leciona em troca de um salário mínimo, é quem faz serviços voluntários, é quem colhe uva, é quem opera pacientes, é quem lava roupa pra fora, é quem bota a mesa, cozinha o feijão e à tarde trabalha atrás de um balcão.

Mulherão é quem cria filhos sozinha, quem dá expediente de 8 horas e enfrenta menopausa, TPM e menstruação.

Mulherão é quem arruma os armários, coloca flores nos vasos, fecha a cortina para o sol não desbotar os móveis, mantém a geladeira cheia e os cinzeiros vazios.

Mulherão é quem sabe onde cada coisa está, o que cada filho sente e qual o melhor remédio pra azia.

Longa vida às mulheres lindas de morrer, mas mulherão é quem mata um leão por dia.

© Martha Medeiros

domingo, 2 de agosto de 2009

Boa Sorte


É só isso
Não tem mais jeito
Acabou, boa sorte

Não tenho o que dizer
São só palavras
E o que eu sinto
Não mudará

Tudo o que quer me dar
É demais
É pesado
Não há paz

Tudo o que quer de mim
Irreais
Expectativas
Desleais

That's it
There's no way
It's over, good luck

I've nothing left to say
It's only words
And what l feel
WonÂ’t change

Tudo o que quer me dar / Everything you want to give me
É demais / It's too much
É pesado / It's heavy
Não há paz / There is no peace

Tudo o que quer de mim / All you want from me
Irreais / Isn't real
Expectativas / Expectations
Desleais

Mesmo se segure
Quero que se cure
Dessa pessoa
Que o aconselha

Há um desencontro
Veja por esse ponto
Há tantas pessoas especiais

Now even if you hold yourself
I want you to get cured
From this person
Who advises you

There is a disconnection
See through this point of view
There are so many special
People in the world
So many special
People in the world
In the world
All you want
All you want

Tudo o que quer me dar / Everything you want to give me
É demais / It's too much
É pesado / It's heavy
Não há paz / There's no peace

Tudo o que quer de mim / All you want from me
Irreais / Isn't real
Expectativas / That expectations
Desleais

Now we're falling
Falling, falling
Falling into the night
Into the night
Falling, falling, falling
Falling into the night

Now we're falling
Falling, falling
Falling into the night
Into the night
Falling, falling, falling
Falling into the night