terça-feira, 18 de agosto de 2009

Carpe Diem ( o poema completo de Horácio )




Em Latim:

Carpe diem quam minimum credula postero.

Tu ne quaesieris, scire nefas, quem mihi, quem tibi finem di dederint.

Leuconoe, nec Babylonios
temptaris numeros.

Ut melius, quidquid erit, pati.

Seu pluris hiemes seu tribuit Iuppiter ultimam, quae nunc oppositis debilitat pumicibus mare.

Tyrrhenum: sapias, vina liques et spatio brevi spem longam reseces. dum loquimur, fugerit invida.

Aetas: carpe diem quam minimum credula postero.

Tradução:

Colha o dia, confia o mínimo no amanhã.

Não perguntes, saber é proibido, o fim que os deuses darão a mim ou a você,

Leuconoe, com os adivinhos da Babilônia não brinque.

É melhor apenas lidar com o que cruza o seu caminho.

Se muitos invernos Júpiter te dará ou se este é o último, que agora bate nas rochas da praia com as ondas do mar.

Tirreno: seja sábio, beba seu vinho e para o curto prazo reescale suas esperanças.

Mesmo enquanto falamos, o tempo ciumento está fugindo de nós.

Colha o dia, confia o mínimo no amanhã.

Podemos sempre ser melhores. Basta pensarmos melhor.

18 comentários:

Alana Bastos disse...

Adorei, procurei carpe diem em latim em diversos lugares e só encontrei aqui. Obrigada. Estou postando sobre isso em meu blog e o nome e link do seu blog estarão lá.

silvia disse...

Através desse texto pelo qual eu procurava cheguei ao seu blog.
Bom saber da sua existência.
Carpe diem, Cláudia!
Um grande beijo!!!!!

Jonas Stifler Reis disse...

Lindíssimo poema.
Parabéns pelo Blog.
Carpe Diem

´peterarthur disse...

muito bom vc colocar um poema tão importante para a sociedade de hj em dia...
me ajudou muito ver o original e a tradução

Joatan Junior disse...

Oi Cláudia, adorei o seu blog e o poema de Horácio. Peço licença para reproduzir no blog carcararei.blogspot.com. Abraço!

Eduardo Barbosa disse...

Obrigado Cláudia!

Carpe Diem Feliz Sempre...

Anônimo disse...

Muito bom .. carpe diem

Panscha Makhara disse...

E antes de existir o tal "você", como se traduziria o "TU" do latim?
Para mim, "TU" é sempre "TU"!!! Não entendo essas traduções hodiernas!
Amanhã, ou depois, se traduzirá "TU" (que é "TU" em todos os idiomas, menos no infracto idioma "brasileiro") como "CÊ" ou - pior ainda - "c"!!!
"C" viu isso?!!

Anônimo disse...

Amei o seu texto e desenho tomei a liberdade por copiá-lo afinal foi muito raro e dificil encontrar-lo em latim com tradução.
Coloquei seu nome.
Abraços continue....
O mundo precisa de pessoas como vc.

Anônimo disse...

obrigada claudia.
Mais nova estudei latim, mas pelo visto não o suficiente para a tradução, que me deu o gosto de ler hoje.
Parabens por se preocupar como soutros que querem saber um pouco de literatura clássica e seus ensinamentos.
bj da Ana, uma portuguesa atenta ao seu blog

Anônimo disse...

muito profunda esta frase, pra quem aproveira a vida, tenho ela escrita em minha "caverna" que puxo com meu trike tigrão pelo Brasil afora.

todas disse...

Amei seu blog,lindo poema de Hóracio...Bom de mais...Carpe Diem !

Vivi disse...

Boa tarde Cláudia.. carpe dienm!!!!

Vivi disse...

Boa tarde Cláudia.. carpe dienm!!!!

Unknown disse...

Simplesmente amei!!!

Marcio Sousa disse...

Simplesmente amei!!!

Isaltina Martins disse...

Lamento dizer que fez aqui uma bela trapalhada com este poema. Alterou os versos com a disposição e a pontuação e, depois, alterou o sentido da tradução. Assassinou o latim e o poema de Horácio.

Caio Henrique disse...

Vim pelo Gato Glático