sexta-feira, 25 de julho de 2008

Naquela Mesa



naquela mesa ele sentava sempre
e me dizia sempre o que é viver melhor

naquela mesa ele contava histórias
que hoje na memória eu guardo e sei de cor

naquela mesa ele juntava gente
e contava contente o que fez de manhã
e nos seus olhos era tanto brilho
que mais que seu filho
eu fiquei seu fã

eu não sabia que doía tanto
uma mesa num canto, uma casa e um jardim

se eu soubesse o quanto dói a vida
essa dor tão doída, não doía assim

agora resta uma mesa na sala
e hoje ninguém mais fala do seu bandolim
naquela mesa ta faltando ele
e a saudade dele ta doendo em mim
naquela mesa ta faltando ele

Um comentário:

Gui disse...

Uma mesa e uma cadeira onde ele está e esatará sempre presente, apesar de não estar visível. Um cantinho de saudade e de recordações. Um verdadeiro refugio, penso eu. Um beijo.